Fundação Cultural Suábio-Brasileira

Histórico da Fundação

Suábios do Danúbio

A fundaçãoA história dos suábios do Danúbio e de sua identidade cultural está interligada com a história da Alemanha, da Áustria, e de outros países do sudeste da Europa, como Hungria, Romênia e ex-Iugoslávia (hoje Croácia e Servia), num período que, no total, abrange desde o século XVII até meados do século XX. De fato, trata-se de uma história bastante extensa e complexa, já que aquele mesmo período histórico representa a própria formação de vários dos países europeus atuais, com guerras, fusões, invasões, imigrações e a redefinição constante de fronteiras.

Na Europa

Os Suábios do Danúbio são, de maneira geral, povos de etnia e cultura germânicas que têm sua origem principal no sudoeste e no oeste do território que hoje corresponde à Alemanha. É importante notar que a denominação “suábio” se refere diretamente aos germânicos que habitavam a “Suábia”, uma região que atualmente está inserida no estado alemão de Baden-Württemberg (sudoeste da Alemanha). Já a denominação “suábio do Danúbio” abrange todos os povos germânicos (não só os originários da Suábia) que, principalmente no século 18, imigraram de áreas do sudoeste e do oeste do então Reino Alemão (Deutsches Reich) para o sudeste da Europa (hoje Croácia, Sérvia, Romênia e Hungria, entre outros locais) – a região havia sido reconquistada em guerras contra os otomanos.
O principal período de imigração dos suábios do Danúbio ocorreu a partir de 1720. Naquela época, os imperadores austríacos (da linhagem dos Habsburgos) incentivaram principalmente agricultores a realizarem
o povoamento dos territórios conquistados.
Para aqueles locais, além dos suábios propriamente ditos, imigraram pessoas das regiões germânicas da Francônia (Franken), Bavária (Bayern), Alsácia-Lothringen (Elsass-Lothringen), Pfalz, Hessen, Boêmia (Böhmen), Silésia (Schlesien), Vestifália (Westfalen), Suíça (Schweiz) e da própria Áustria.
Os “suábios do Danúbio” se fixaram em dezenas e dezenas de povoamentos, de maior ou menor porte, em locais como “Turquia Suábia”, Batschka, Banat, Sirmia, Slavônia e Sathmar. Ali praticaram a agricultura e mantiveram seus dialetos e suas tradições. Aquelas regiões pertenceram ao Império Áustro-Húngaro (1867 a 1918).
Com o fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, ocorreu um fato peculiar: o Império Áustro-Húngaro se dissolveu e as regiões habitadas pelos suábios do Danúbio, antes sob um mesmo governo, se viram divididas agora pelas fronterias de vários países, como Hungria, Romênia e Iugoslávia (hoje Croácia e Sérvia).

No Brasil

Durante e depois da Segunda Guerra, muitos suábios deixaram o sudeste da Europa, dirigindo-se à Áustria, onde viveram durante 7 anos em abrigos para refugiados.
A instituição filantrópica Ajuda Suíça para a Europa (Schweizer Europahilfe) organizou um projeto para viabilizar uma alternativa de vida para um grupo de suábios do Danúbio que se encontrava na Áustria: um total de 500 famílias, 2.446 pessoas, se inscreveu na iniciativa, que visava a criação de uma cooperativa agrícola no Brasil como um caminho para um novo futuro. Assim nasceu a iniciativa que levaria à fundação da Cooperativa Agrária e à colonização dos campos de Entre Rios, localidade que é um distrito do município de Guarapuava (PR).
A Agrária foi fundada em solo brasileiro – e não na Alemanha ou em outro lugar da Europa. A cerimônia de fundação da Cooperativa ocorreu no dia 5 de maio de 1951, no Hotel Central, em Guarapuava.
A Agrária, com apoio financeiro da Ajuda Suíça para a Europa, adquiriu, em Entre Rios, uma área inicial de cerca de 22 mil hectares. Os suábios que participaram do projeto de imigração para Entre Rios se tornavam cooperados e com o fruto de seu trabalho pagavam à Cooperativa pelas terras recebidas.
Em Entre Rios, a disposição dos suábios para enfrentar as muitas dificuldades dos primeiros anos, marcados por perdas de safras, falta de infraestrutura e por dificuldades de idioma, ao lado de seu enorme esforço de superação de obstáculos, escreveram uma das mais marcantes páginas da história da imigração de etnia alemã no Brasil.

Em Entre Rios (Guarapuava – PR)

O distrito de Entre Rios se tornou a única comunidade rural de suábios do Danúbio existente na atualidade em moldes semelhantes aos que existiam no sudeste da Europa. Em outros países os suábios estão dispersos, por vezes, em grandes centros urbanos.
Hoje atentos à necessidade de participar de um mundo multicultural, os suábios do Danúbio de Entre Rios e seus descendentes, ao lado do orgulho e da gratidão de ter no Brasil sua nova pátria, guardam o exemplo de seus antepassados e persistem para vencer os novos desafios trazidos pela globalização: a profunda e rápida modernização da agricultura em tempos de mercados sem fronteiras e a preservação de sua identidade cultural.
No mundo

Muitos suábios do Danúbio imigraram da Europa para países como Estados Unidos, Canadá, Argentina e Austrália. Outros, após deixar o sudeste da Europa, permaneceram na Áustria e na Alemanha, formando em solo europeu um grupo muito unido por laços culturais e históricos, mantendo associações culturais, apoiando revistas suábias e promovendo eventos.

Parceiros | Kultur-Partner:

Lei de Icentivo a Cultura
Agrária
Fertipar
Safra
Arysta
Syngenta
Banco ABC Brasil
Casa Di Conti
KeplerWeber
BRDE
Flabel
UPL
Adama
Zeppelin
Stoller
Ihara
Superpão
Rocha

Realização | Veranstalter:

Localização
Avenida Michael Moor, 1951 – Colônia Vitória, Entre Rios,
CEP 85139-400 Guarapuava – PR.
Telefone
++55 (42) 3625 8326 - Marlene Zimmermann Lehmann
++55 (42) 3625 8320 - Viviane Schüssler (Gerente)
E-mail: vivianes@agraria.com.br
Horário
Horário de funcionamento da Fundação Cultural Suábio-Brasileira:
Segunda à sexta-feira: 8h às 17:30h
(intervalo das 12h às 13h).
Horário
Horário de funcionamento do
Museu Histórico de Entre Rios: 
Segunda à sexta-feira: 8h às 17h
(intervalo das 12h às 13h) e
sábados, das 13h às 17h.
Telefone: ++55 (42) 3625 8328 /
e-mail: museu@agraria.com.br
© 2014 - Fundação Cultural Suábio-Brasileira - Produzido por BRSIS