Advento e Natal na Antiga Pátria dos Suábios do Danúbio

22/12/2020

Durante o Advento, os Suábios do Danúbio frequentavam, nas regiões católicas, a “Missa Rorate” ou “Missa Arati”, uma missa votiva celebrada pouco antes do amanhecer, em que jovens e velhos entoavam cantos do Advento. Era também o tempo de incentivar nas crianças o hábito da oração; a avó, em um ambiente bem acolhedor, lia, em seu livro de lendas, histórias sobre o Menino Jesus e o Pelznickel, um personagem mascarado. As crianças ajudavam também a mãe na preparação para assar os biscoitos de Natal e, assim, aos poucos aproximava-se a festa mais contemplativa do ano.

Como as coníferas eram árvores raras e caras, usavam-se na época os galhos de pinheiro ou abrunheiro como árvores de natal. A mãe enfeitava a árvore com maçãs, nozes douradas e outros paramentos natalinos. A véspera de Natal era, antes, um dia de jejum e uma das refeições festivas era o Fischpaprikasch, uma espécie de sopa à base de peixe e páprica. Logo ouvia-se o som de um sininho e uma voz perguntava do lado de fora: “O Menino Jesus pode entrar?”. “Sim, por favor, entra”, respondiam os pais. Dizendo “Louvado seja Jesus Cristo”, o Menino Jesus, vestido de branco, entrava na casa. Todas respondiam à saudação com: “Para todo o sempre, amém!”. De joelhos, as crianças rezavam o Pai Nosso e recitavam seus versinhos: “Doce Menino Jesus, por ti muito tempo esperei. Dá-me maçãs e nozes e a meu pai e minha mãe honrarei”. Então, o Menino Jesus esvaziava seu avental branco, despejando maçãs, nozes, figos, laranjas e, por vezes, também brinquedos.

Nessa noite, a família ficava geralmente acordada para ir, reunida, à missa da meia-noite, na qual entoavam-se as belas cantigas de Natal. De novo em casa, a mãe fechava as venezianas, dizendo que conseguiu ver nitidamente o Menino Jesus subindo pela escada celestial de volta ao céu. Os adultos ainda ficavam um pouco assentados e era costume comer, para trazer sorte, um prato chamado Sulz, uma gelatina de carne.

Com o passar dos tempos, surgiram também várias encenações envolvendo presépios vivos, o Menino Jesus, pastores e os Três Reis Magos.

No dia de Natal, a família ia reunida à missa e, à tarde, as crianças visitavam os padrinhos para buscar seu presente. No segundo dia de Natal, dia 26 de dezembro, celebrava-se, ao mesmo tempo, o dia de Santo Estêvão e era costume desejar a todos com o nome de Estêvão tudo de melhor, dizendo: “Hoje à noite um sininho tocar escutei, não sei o que significa; hoje deve ser dia de Santo Estêvão, finalmente me lembrei”.

No dia 27 de dezembro, dia de São João Evangelista, era consagrado o vinho na igreja. Nos bares, bebia-se à bênção de São João e os jovens se aprontavam para a cavalgada de São João.

No dia 28 de dezembro comemorava-se o Dia dos Santos Inocentes. Com uma vara nas mãos, as crianças davam leves varadas umas nas outras, recitando: “Fresco e saudável, o Ano Novo chega”.

Foto: Uma festa de Natal no jardim de infância em Erdevik, Sírmia, no ano de 1943


Outras notícias

Benefícios de Estudar um Instrumento na Infância
Benefícios de Estudar um Instrumento na Infância...
Em memória de Ingrid Schüssler, líder social e juvenil em Entre Rios
Há 44 anos atrás, no dia 16 de dezembro de 1976, durante uma viagem de trabalho, Ingrid Schüssler foi vítima de um acidente de trânsito causado por...
Fatos e relatos pitorescos na profissão de músico
Eu sou Antonio Luiz Schneiders e vou compartilhar com vocês alguns fatos inusitados da minha vida de músico. A vida de músico é cheia de fatos...

Parceiros:

Realização:

bandeira nacional brasileira

Localização
Avenida Michael Moor, 1951 – Colônia Vitória, Entre Rios,
CEP 85139-400 Guarapuava – PR.
Telefone
++55 (42) 3625 8326
++55 (42) 3625 8320 - Josiane Richter (Coordenadora)
E-mail: jrichter@agraria.com.br
Horário
Horário de funcionamento da Fundação Cultural Suábio-Brasileira:
Segunda à sexta-feira: 8h às 17:30h
(intervalo das 12h às 13h).
Horário
Horário de funcionamento do
Museu Histórico de Entre Rios: 
Segunda à sexta-feira: 8h às 17h
(intervalo das 12h às 13h) e
sábados, das 13h às 17h.
Telefone: ++55 (42) 3625 8328 /
e-mail: museu@agraria.com.br
© 2014 - Fundação Cultural Suábio-Brasileira - Produzido por BRSIS